Reunião de Novembro: AILE recebe Layla Oliveira, uma jovem e promissora escritora

 

No último sábado, 04 de Novembro, os Acadêmicos da AILE – Academia Itaunense de Letras – reuniram-se na Loja Maçônica Itaúna Livre, às 09h, para dar sequência aos trabalhos da Entidade.

Na segunda reunião sob a Diretoria presidida pelo Prof. Arnaldo de Souza Ribeiro, a Academia teve o prazer de receber a jovem escritora Layla Oliveira, que falou sobre seu trabalho com a palavra escrita. Acompanhada de pais, amigos e familiares, Layla esbanjou simpatia e recebeu, um a um, os agradecimentos, conselhos, reflexões e pensamentos dos acadêmicos presentes.

Ainda seguiram-se na Palavra Franca, as reflexões e provocações dos Acadêmicos Leonardo Costaneto, Pedro Penido, Raimundo Rabello e Sílvio Bernardes, sobre o momento que as artes vivem no país, com cortes para a necessidade de cada artista/escritor manifestar-se em defesa da liberdade de pensamento, de expressão e do fazer artístico.

A reunião foi encerrada com uma troca de livros entre a escritora convidada e os escritores que levaram obras.


De olho na participação dos jovens na Literatura Brasileira e ciente da necessidade de abrir-lhes cada vez mais espaços e oportunidades, o Prof. Arnaldo de Souza Ribeiro, atual presidente da Academia Itaunense de Letras, respondeu a algumas perguntas sobre sua iniciativa de trazer a jovem escritora Layla de Oliveira à Academia.

AILE: Como o senhor avalia o espaço do jovem autor na literatura?

Prof. Arnaldo: A contribuição dos jovens nas várias modalidades de artes sempre ocorreu. Registre-se a precocidade de Wolfgang Amadeus Mozart, que mostrou sua prodigiosa capacidade desde os cinco anos, quando trouxe ao mundo suas primeiras composições, além de executar com maestria o teclado e o violino. Castro Alves, que viveu tão somente vinte e quatro anos e legou ao mundo uma obra poética hercúlea.

Em Itaúna, na década de 70, Dênio Carvalho, com apenas dez anos, escreveu e publicou o livro – A casa da fantasia – que se transformou em samba enredo da Escola de Samba Zulu. Portanto, a história se repetiu. No sábado [04 de Novembro de 2017], os integrantes da AILE receberam em sua Reunião Ordinária, a jovem escritora Layla de Oliveira, nascida em Juiz de Fora, em 2002 e que morou em Itaúna, onde tem vários parentes. Na AILE ela lançou seu livro: Princesa Proibida em Busca da Liberdade. A sua desenvoltura com as letras e a facilidade de expressão impressionaram a todos. E dúvidas não restam: novos livros virão de sua lavra e de sua mente privilegiada.

AILE: Instituições como a AILE podem colaborar com jovens autores? Como?

Prof. Arnaldo: Sabe-se que por este imenso Brasil existem vários outros talentos precoces. Portanto, as Instituições voltadas à Educação e à Cultura não só podem como devem colaborar. E um bom caminho é abrir-lhes suas portas como a Academia Itaunense de Letras – AILE o fez, com a jovem Layla: ouvir-lhes com atenção e respeito e propiciar-lhes oportunidades para que extravasem sua criatividade.

 

Your browser is out of date. It has security vulnerabilities and may not display all features on this site and other sites.

Please update your browser using one of modern browsers (Google Chrome, Opera, Firefox, IE 10).

X